As minhas raízes que brotam das pedras que me viram crescer
Sábado, 10 de Junho de 2006
BERÇO REAL

 Era eu a perguntar

se o Natal chegaria ao altar

pra se dar em comunhão.

Por meu mal,

baralhei os conceitos:

as virtudes são defeitos,

como eu sou a ilusão.

 

Era eu na rua, ao meio-dia,

a esconder, do que fazia,

o pecado original

a que chamam capital.

Do Natal que venho a ler

numa bíblia já truncada,

vi que a noite ficou fechada.

 

Mas, ... se eu for acto de fé

num Menino já de pé

na Pelmá em que nasci,

o Natal será criança

com prendinhas de mudança

que se sonham por ali.

 

Vejo a fé onde a razão

interroga a Redenção

que se diz vir no Natal.

No meu crer, a paz é guerra

na cultura desta Terra,

na Pelmá - berço real!



publicado por alecrimdaserra às 01:07
link do texto | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


textos recentes

Natal em Crise

RUBRO DE CEREJA

O MENINO INFELIZ

NATAL A FAZER AMOR

SER DO TEMPO

EM BOA HORA

A VERMELHO

POR OUTRO CAMINHO

A VIDA CONTINUA

O NATAL DEPUTADO

arquivos

Junho 2006

favoritos

Alunos e professores do S...

O NATAL DEPUTADO

RUBRO DE CEREJA

links
Com a amizade do
subscrever feeds