As minhas raízes que brotam das pedras que me viram crescer
Sábado, 10 de Junho de 2006
RUBRO DE CEREJA

 

Beija na boca, beija mais e mais

a pobre apaixonada em mulher.

Nua para a entrega diz-se em “ais”

inda aquém do orgasmo - bem-me-quer.

 

Por amor, beija a boca apaixonada,

toda em fogo de homem que desejas,

a raiz do amor é refrescada

com os beijos em rubro de cerejas.

 

Se a paixão cria ondas como o mar,

a nortada faz ondas com espuma;

se, na boca, os beijos vão queimar,

o amor põe na praia a fresca bruma.

 

Maré baixa, não põe no ventre o fogo!

Maré alta, ... se a boca der Amor.

Beijos de ontem? De hoje? Os de um jogo

no ferrão da abelha que ama a flor.

 

Beija a boca por dentro da paixão!

Faz amor, como o tempo e a semente!

Faz o mundo no fogo da explosão

que, na vida, é a vida que se sente!

 

Beija forte, no calor da convicção,

o que amas e crês - a tua vida.

Ser na boca ou na face apetecida, ...

é Natal que te sai do coração!

 

                                     Coimbra, 20/21.11.02

 



publicado por alecrimdaserra às 01:14
link do texto | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


textos recentes

Natal em Crise

RUBRO DE CEREJA

O MENINO INFELIZ

NATAL A FAZER AMOR

SER DO TEMPO

EM BOA HORA

A VERMELHO

POR OUTRO CAMINHO

A VIDA CONTINUA

O NATAL DEPUTADO

arquivos

Junho 2006

favoritos

Alunos e professores do S...

O NATAL DEPUTADO

RUBRO DE CEREJA

links
Com a amizade do
subscrever feeds