As minhas raízes que brotam das pedras que me viram crescer
Sábado, 10 de Junho de 2006
EUREKA!

 

Eureka! Encontrei!

Era um Menino – o novo Rei

com nome de cada criança

que não teve brinquedos

nem um beijo,

nada no chinelo do desejo;

 

com o nome de cada pobre

sem abrigo, sem pão sem nada,

marginal que rimava com Natal;

 

com o nome de cada velhinho

sem lar nem amor nem pão

sem a alegria que o Natal cobre;

 

com o nome de cada recluso

a saborear a razão daquelas grades

e a esperança de ouvir: «Vai em paz!»;

 

com o nome de cada soldado

para que se renda à paz contra a guerra,

já hoje, Dia de Natal;

 

com o nome deste e daquele,

dos bons e dos maus por fraqueza,

dos filhos da puta da exploração,

dos patrões da porta fechada,

dos operários despedidos por nada,

dos, e dos, e dos outros mais

que não quiseram merecer,

e não tiveram

o Menino de Lei

a que chamam o Natal!



publicado por alecrimdaserra às 00:54
link do texto | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


textos recentes

Natal em Crise

RUBRO DE CEREJA

O MENINO INFELIZ

NATAL A FAZER AMOR

SER DO TEMPO

EM BOA HORA

A VERMELHO

POR OUTRO CAMINHO

A VIDA CONTINUA

O NATAL DEPUTADO

arquivos

Junho 2006

favoritos

Alunos e professores do S...

O NATAL DEPUTADO

RUBRO DE CEREJA

links
Com a amizade do
subscrever feeds