As minhas raízes que brotam das pedras que me viram crescer
Sábado, 10 de Junho de 2006
CONCORDATA

 Naquela manhã mais cinzenta,

sem luz nem chama interior,

homens de eleição

à volta de (uma) mesa

vinham propor

ao clero e à nobreza

nova concordata:

mais privilégios,

repartição “pro rata”

no desgaste das promessas.

 

Homens agradecidos

à volta do altar

na capela do solar

serviam ao prior,

ao converso e ao senhor,

a cozinhada ementa

na hora do oitavo sacramento.

 

Os donos escolhidos

dos destinos aferidos

na hora da eleição,

cunhavam moeda de latão

pra saldar a velha amortização

no referendo popular.

 

Os corpos foram à missa,

deixaram a esmola na bandeja

como se fossem igreja

e mandassem no Natal.

A loucura sem imposto

continua a ter um rosto:

o comprador das horas

que quer comprar o mundo!

 

                              Nancy, Dezembro de 1988



publicado por alecrimdaserra às 01:01
link do texto | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


textos recentes

Natal em Crise

RUBRO DE CEREJA

O MENINO INFELIZ

NATAL A FAZER AMOR

SER DO TEMPO

EM BOA HORA

A VERMELHO

POR OUTRO CAMINHO

A VIDA CONTINUA

O NATAL DEPUTADO

arquivos

Junho 2006

favoritos

Alunos e professores do S...

O NATAL DEPUTADO

RUBRO DE CEREJA

links
Com a amizade do
subscrever feeds